segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

INFORMAÇÕES DA ARQUIDIOCESE DE CURITIBA

Mitra Arquidiocese de Curitiba



Exercícios Espirituais de Carnaval
Na próxima sexta-feira, 4, tem início o retiro de exercícios espirituais promovido pelo movimento católico Regnum Christi.
Centrado no tema, "Na Tua intimidade, repouso em Teus braços", o retiro acontece em Colombo, no Convento das Irmãs Filhas da Cruz, à partir das 19h, estendendo-se até às 12h00 do dia 8. 
O valor da inscrição por pessoa é R$200,00, incluindo comida, hospedagem e material de estudo. É necessário trazer roupa e cama e banho.
As inscrições devem ser feitas através do telefone: (41) 96863804 ou pelo e-mail reinocuritiba@inteducators.org.
O Convento das Irmãs fica na rua Pedro Dugonski, 55, Colombo.

 

Mitra  da  Arquidiocese  de  CuritibaCúria Metropolitana - Assessoria de Imprensa

domingo, 27 de fevereiro de 2011

ORDENAÇÃO DIACONAL DO PRIMEIRO DIÁCONO DA PARÓQUIA SANTA CÂNDIDA O DIÁCONO LEONIDE

Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba Dom Rafael Biernaski,  Presidiu a Ordenação Diaconal na Capela N.S.Aparecida do Diácono Leonide Dias da Silva.
Selecionamos algumas fotos do Diácono Leonide as fotos são exclusivas deste Blog e pode ser copiados gostaríamos que registrasse a origem ou a fonte das fotos























A sede do município de Colombo fica à 18 km de Curitiba. Tem origem numa colónia italiana, que começou a ser implantada em 1878, quando diversas famílias de imigrantes italianos desembarcaram no porto de Paranaguá, penetrando no atual território da Região Sul do Brasil, como tantos grupos de imigrantes europeus. O Brasil, era, então, uma monarquia imperial cujo regente era Dom Pedro II (1840-1889). Inicialmente se estabeleceram em Morretes, chefiados por Padre Ângelo Cavalli, mas abandonaram as terras consideradas muito inóspitas (quentes e úmidas) e subiram a Estrada da Graciosa, na Serra do Mar, em direção à Curitiba.

Em Setembro de 1878, receberam do governo provincial 80 lotes de terras à 23 quilómetros de Curitiba, no local de nome Butiatumirim. A colónia chamava-se Colónia Alfredo Chaves, em homenagem ao Inspetor Geral de Terras e Colonização. Em 8 de Janeiro de 1890, pelo Decreto nº 11, a colónia foi elevada à categoria de Vila, recebendo o nome Colombo, em homenagem ao descobridor da América Cristóvão Colombo.

A Cidade de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, fas a sua divisa territorial com o Bairro Santa Cândida, ( Paróquia Santa Cândida ) A Paróquia Santa Cândida é composta da Igreja Matriz e mais 10 Capelas, sendo que 3 Capelas estão situados em Curitiba e as 7 outras Capelas nas imediações do Bairro na região da Cidade de Colombo.  Onde aconteceu neste dia 26 de Fevereiro as 16 horas na Capela Nossa Senhora Aparecida, a Ordenação Diaconal de Leonide Dias da Silva. Com o Diaconato de Leonide Dias da Silva, a Arquidiocese de Curitiba passa a ter 62 Diácono a serviço de Deus e a Igreja em Curitiba e região. Se fizeram presentes na Ordenação de Leonide, muitos Diáconos e Padres, como o Pe.Wilson CM, Pe.Odair CM, Pe.Edilson CM, Pe.João Chemim, o Paróco Simão Valenga CM, diversas lideranças Pastorais da Paróquia Santa Cândida e Movimentos, assim como vários Seminaristas, e os fiéis o povo de Deus a onde o Diácono Leonide, vai se colocar a serviço; Presidiu a Ordenação Diaconal o Bispo Dom Rafael Biernaski, que durante o seu ministério de Bispo é a terceira Ordenação Diaconal de Dom Rafael Biernaski, e durante a homilia de Dom Rafael o Bispo falou com profundidade a comunidade ea o Diácono Leonide, quais são as funções que a Igreja confia ao Diácono, bastante tranquilo dos temas; O Bispo Dom Rafael Biernaski  lembrou a época que trabalhou em Roma junto ao saudoso e grande Cardeal do Brasil Dom Lucas Moreira Neves, que momentos antes de ir para junto de Deus o Cardeal Dom Lucas Moreira Neves, lembrou o Batismo como o grande Sacramento; Com estas palavras o Bispo Dom Rafael foi mergulhando na profundidade do Batismo um dos serviços que a Igreja de Deus confia ao Diácono; Outro momento forte da homilia de Dom Rafael foi com relação ao Sacramento do Matrimonio, o Altar e a Palavra de Deus, pois para que tenha eficácia o ministério do Diácono, diante da comunidade é preciso que o Diácono viva o matrimonio de forma exemplar; a partir dai o serviço ao Altar e a Palavra de Deus vai ter eco na comunidade. Outro ponto forte na homilia do Bispo Dom Rafael, ao Diácono Leonide ea comunidade presente, e aos demais Diáconos, foi quando o Bispo disse; que o Diácono para servir o Altar primeiro ele precisa ser o homem da Caridade! Passado os Ritos da Ordenação Diaconal, no momento da fala do primeiro Diácono da Paróquia Santa Cândida, o Diácono Leonide agradeceu a todos os amigos que o ajudaram em sua caminhada, em momentos difíceis onde ele encontrou um ombro amigo que o ajudou e deu forças como os Padres presentes e os amigos de turma na Escola Diaconal; O Diácono Leonide disse; que gostaria muito que os seu Pais estivesse ali, para ver a sua Ordenação Diaconal, mais não é possível, pois hoje meus Pais estão lá no Céu; Mais com certeza eles estão Felizes vendo lá do Céu a minha ordenação Diaconal; Neste momento o Diácono se emocionou, agradeceu a sua esposa e seu filho e procurando valorizar a família entregou um broque de flores a sua esposa e a abraçou! Em seguida o Paróco Simão Valenga fez as considerações finais na Ordenação Diaconal eo Bispo Dom Rafael Biernaski, pediu a interseção de Nossa Senhora de Aparecida, sobre a vida e a família do Diácono Leonide assim como na vida de toda a comunidade presente, e em seguida invocou a Bênção de Deus sobre todos que esta vão presentes assim como toda a Paróquia Santa Cândida, e assim se concluiu a Ordenação Diaconal!
Sábado dia 26 Fevereiro estivemos reunido no Setor de Capélinhas, na casa da Mensageira de N.Senhora; Maria Castro para junto com éla e seus Pais e os amigos, Parabenizala pelo seu aniversário; Maria Parabéns !

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011



Mitra Arquidiocese de Curitiba

 



Peregrinação de Nossa Senhora da Conceição Aparecida
Promoção: TV Aparecida.
Data: 26 e 27 de fevereiro.
Local:Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe - Praça Senador Correia, 128, Centro.
Informações: A Imagem Missionária de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, vinda direto do Santuário de Aparecida, em São Paulo, percorre a Arquidiocese de Curitiba desde quarta-feira, 23.

Programação:
26 - Sábado
18h Missa Solene presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom Moacyr José Vitti, com animação do padre Reginaldo Manzotti e do Ministério Evangelizar é preciso.

27 – domingo
9h – Missa presidida pelo padre Reginaldo Manzotti
10h – Terço e orações Marianas
11h – Missa presidida pelo padre Reginaldo Manzotti
12h às 15h – Orações conduzidas pelas Pastorais
15h às 17h – Consagração Solene com o padre Evaldo César de Souza, do Santuário de Aparecida
17h às 18h – Orações conduzidas pelas Pastorais
18h – Missa de despedida de Nossa Senhora, presidida pelo padre Reginaldo Manzotti
Curso de formação sobre CF2011
Promoção: Centro de Estudos Bíblicos do Paraná (CEBI-PR).
Data: 1 a 4 de março.
Horário: das 14h30 às 17h.
Local:Livraria Paulus - Praça Rui Barbosa, 599, Centro.
Informações: Mais informações através do telefone do CEBI: (41) 3039 6672.
Estudo da Encíclica Verbum Domini      
Promoção: Conferência dos Religiosos do Brasil Regional Paraná (CRB-PR).
Data: 3, 4 e 5 de março.
Local: Edifício Nossa senhora da luz - José Bonifácio, 15, Centro.
Informações: As reuniões serão dividas em duas modalidades.  A primeira parte será ministrada nos dias 3 e 4, das 19h às 21h30, no quinto andar do prédio e a segunda no sábado, 5, das 14h às 18h, no auditório do térreo. A contribuição por modalidade é de R$10,00 e as inscrições devem ser feitas pelo e-mail ou telefone da CRB:
crb@crbpr.com.br / (41) 3224-4031.
 
Simpósio de Abertura da Campanha da Fraternidade                                                 
Promoção:  Fundo Diocesano de Solidariedade(FDS) em parceria com a Arquidiocese de Curitiba  e apoio da Pastoral da PUC.
Data: 12 de março.
Horário: O simpósio será realizado na PUC em duas etapas, com uma palestra introdutória das 8h00 ao 12h00 no Centro de Teologia e Ciência e com as oficinas das 13h30 às 15h30 no auditório John Henry Newman.                                                                                   
Informações: Serão 14 oficinas oferecidas em horários simultâneos com diversos profissionais especialistas na problemática do clima. O evento será finalizado com uma celebração ecumênica de abertura da CF 2011 às 16h. As inscrições são limitadas e podem ser feitas através do e-mail: simposiocf@hotmail.com ou pelos telefones: (41) 32866391 e (41) 96425598.
 

Retiro de Carnaval GABAON                                                                                                     
Promoção: Renovação Carismática Católica (RCC).
Data: 6, 7 E 8 de março.
Horário: das 8h às 22h.
Local:  Santuário Nossa Senhora do Equilíbrio - Amadeu Piotto, 4505, Orleans.
Informações:  O GABAON de Carnaval é um grande evento religioso que oferece bailes carismático, canções de louvor, pregações, missas e apresentações teatrais.
Segundo a equipe organizadora do retiro, a média de público nos últimos anos tem sido de aproximadamente 30.000 pessoas ao longo dos três dias de evento.
Dúvidas da programação no telefone: (41) 32229332.
 

Retiro de Carnaval com Pe. Fábio de Melo                                                                            
Promoção:Canção Nova de Curitiba.
Data: No dia 4 de março um ônibus Leito Turismo partirá de Curitiba, às 20h45 em direção a Cachoeira Paulista( SP). A parada será na Pousada Sagrada Família (SP) que fica a 150m da sede da Canção.
Informações: mais detalhes do local de partida em Curitiba através do telefone: (041) 92570551. O pacote do retiro sai por R$360,00 e pode ser parcelado em até quatro vezes, incluindo 3 pernoites com 4 cafés da manhã completos e 4 Lanches no final da tarde.
O Carnaval deste ano contará com diversos shows animados por bandas católicas e com a presença do Pe. Fábio de Melo, entre outros. As vagas são limitadas.
A sede da Canção em Curitiba fica na Av. Marechal Floriano Peixoto 4809, Vila Hauer.
 

Exercícios espirituais de Carnaval                                                                                               
Promoção: Irmãs de Santo André
Data: O encontro terá início às 18h do dia 5 e finalizará com um almoço na terça-feira, dia 8.
Local: Casa de Retiro Santo André - Pe. João Morelli, 495, próximo a BR 277, Km 144, em Campo Largo.
Informações: O retiro das irmãs é dirigido a jovens com idade acima de 16 anos. A casa é localizada numa região afastada e tranquila, propícia para reflexões e meditações espirituais. Dúvidas e inscrições através do telefone do local: (41)3555 20 55.
 

Kerigma de Carnaval                                                                                                                
Promoção:  Irmãs Mensageiras do Amor Divino.
Data: O encontro terá início às 19h do dia 5 e finalizará às 18h do dia 8 de março.
Local:  Casa de Retiro Mossunguê - Francisco Juglair, 171.
Informações: O Retiro de Primeiro Anúncio ou Kerigma é a primeira experiência de oração e contato pessoal com a espiritualidade para uma mudança de vida.
A taxa por pessoa é de R$100,00. As inscrições podem ser feitas pelo telefone da Casa:(41) 32791078.
 
Acampamento de Carnaval
Promoção: Comunidade Shalom.
Data: 5 a 8 de março.
Horário: A chegada dos retirantes no recanto está marcada para sábado, dia 5, às 9h.
Local:  Recanto Santa Maria em Almirante Tamandaré.
Informações: Inscrições e informações de custo podem ser obtidas diretamente no Centro de Evangelização: (41) 30246670. A sede fica na rua Conselheiro Laurindo 2815, Prado Velho. 
  
Palestra Verbum Domini – a palavra de Deus na vida e na missão da Igreja
Promoção: Livrarias Paulinas.
Data: 2 de abril.
Horário: das 9h às 12h45.
Local: Livrarias Paulinas - Voluntários da Pátria, 225, Centro.
Informações: O curso será ministrado pelo missionário especializado em Pastoral Bíblica e presidente da Regional do Paraná da Conferência dmail
 
os Religiosos do Brasil, Pe. Tomaz Hughes.
A palestra é gratuita e as vagas são limitadas. Dúvidas e mais detalhes no telefone: (41) 32248550 ou através do e-
 


 

Mitra  da  Arquidiocese  de  CuritibaCúria Metropolitana - Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

CURIOSIDADES DA ORDENAÇÃO EPISCOPAL

O encontro do Pe.Luís e o Bispo Chacorowski, a foto é exclusividade deste Blog!
Curiosidades! Você sabia que o Pe.José Carlos Chacorowski, foi ordenado Padre pelo Papa João Paulo II; O interessante na foto a cima é que o nosso Pe.Luís que trabalha aqui em nossa Paróquia, também foi ordenado Padre, pelo Papa João Paulo II; Agora a foto a cima mostra o encontro do Pe.Luís CM, com o Bispo Dom José Carlos Chacorowski CM.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Tobias , Pe.Marcos Gumieiro e Tarcisio

 No último sábado dia 19 de Fevereiro, durante a hora do almoço, conversamos com o Pe.Marcos Gumieiro CM; e eu dizia da saudade que sentimos dele e ele dizia o mesmo dos tempo dos batizados as Missa nos Setores, que saudade dizia o Pe. Marcos! E eu conversando com o Pe.Marcos, pedi a ele se fosse possível mandar fotos e alguma matéria de Moçambique na África, diante do trabalho que Pe.Marcos realiza lá para que nós aqui possamos conhecer um pouco mais do povo e da Igreja na África! O Pe.Marcos disse; que assim que for possível ele manda o material para que nós possamos conhecer um pouco mais da Igreja na África! Valeu Pe.Marcos; Bom e você que tem nos prestigiado com sua visita, vai poder conhecer um pouco mais da Igreja.

MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI

Terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Mensagem do Papa para a Quaresma de 2011


 Santa Sé




«Sepultados com Ele no batismo, foi também com Ele que ressuscitastes» (cf. Cl 2, 12)
Amados irmãos e irmãs!
A Quaresma, que nos conduz à celebração da Santa Páscoa, é para a Igreja um tempo litúrgico muito precioso e importante, em vista do qual me sinto feliz por dirigir uma palavra específica para que seja vivido com o devido empenho. Enquanto olha para o encontro definitivo com o seu Esposo na Páscoa eterna, a Comunidade eclesial, assídua na oração e na caridade laboriosa, intensifica o seu caminho de purificação no espírito, para haurir com mais abundância do Mistério da redenção a vida nova em Cristo Senhor (cf. Prefácio I de Quaresma).
1. Esta mesma vida já nos foi transmitida no dia do nosso Batismo, quando, «tendo-nos tornado partícipes da morte e ressurreição de Cristo» iniciou para nós «a aventura jubilosa e exaltante do discípulo» (Homilia na Festa do Batismo do Senhor, 10 de Janeiro de 2010). São Paulo, nas suas Cartas, insiste repetidas vezes sobre a singular comunhão com o Filho de Deus realizada neste lavacro. O fato que na maioria dos casos o Batismo se recebe quando somos crianças põe em evidência que se trata de um dom de Deus: ninguém é merecedor da vida eterna pelas próprias forças. A misericórdia de Deus, que lava do pecado e permite viver na própria existência «os mesmos sentimentos de Jesus Cristo» (Fl 2, 5), é comunicada gratuitamente ao homem.
O Apóstolo dos gentios, na Carta aos Filipenses, expressa o sentido da transformação que se realiza com a participação na morte e ressurreição de Cristo, indicando a meta: que assim eu possa «conhecê-Lo, a Ele, à força da sua Ressurreição e à comunhão nos Seus sofrimentos, configurando-me à Sua morte, para ver se posso chegar à ressurreição dos mortos» (Fl 3, 10-11). O Batismo, portanto, não é um rito do passado, mas o encontro com Cristo que informa toda a existência do batizado, doa-lhe a vida divina e chama-o a uma conversão sincera, iniciada e apoiada pela Graça, que o leve a alcançar a estatura adulta de Cristo.
Um vínculo particular liga o Batismo com a Quaresma como momento favorável para experimentar a Graça que salva. Os Padres do Concílio Vaticano II convidaram todos os Pastores da Igreja a utilizar «mais abundantemente os elementos batismais próprios da liturgia quaresmal» (Const. Sacrosanctum Concilium, 109). De fato, desde sempre a Igreja associa a Vigília Pascal à celebração do Batismo: neste Sacramento realiza-se aquele grande mistério pelo qual o homem morre para o pecado, é tornado partícipe da vida nova em Cristo Ressuscitado e recebe o mesmo Espírito de Deus que ressuscitou Jesus dos mortos (cf. Rm 8, 11). Este dom gratuito deve ser reavivado sempre em cada um de nós e a Quaresma oferece-nos um percurso análogo ao catecumenato, que para os cristãos da Igreja antiga, assim como também para os catecúmenos de hoje, é uma escola insubstituível de fé e de vida cristã: realmente eles vivem o Batismo como um ato decisivo para toda a sua existência.
2. Para empreender seriamente o caminho rumo à Páscoa e nos prepararmos para celebrar a Ressurreição do Senhor – a festa mais jubilosa e solene de todo o Ano litúrgico – o que pode haver de mais adequado do que deixar-nos conduzir pela Palavra de Deus? Por isso a Igreja, nos textos evangélicos dos domingos de Quaresma, guia-nos para um encontro particularmente intenso com o Senhor, fazendo-nos repercorrer as etapas do caminho da iniciação cristã: para os catecúmenos, na perspectiva de receber o Sacramento do renascimento, para quem é batizado, em vista de novos e decisivos passos no seguimento de Cristo e na doação total a Ele.
O primeiro domingo do itinerário quaresmal evidencia a nossa condição do homens nesta terra. O combate vitorioso contra as tentações, que dá início à missão de Jesus, é um convite a tomar consciência da própria fragilidade para acolher a Graça que liberta do pecado e infunde nova força em Cristo, caminho, verdade e vida (cf. Ordo Initiationis Christianae Adultorum, n. 25). É um claro chamado a recordar como a fé cristã implica, a exemplo de Jesus e em união com Ele, uma luta «contra os dominadores deste mundo tenebroso» (Hb 6, 12), no qual o diabo é ativo e não se cansa, nem sequer hoje, de tentar o homem que deseja aproximar-se do Senhor: Cristo disso sai vitorioso, para abrir também o nosso coração à esperança e guiar-nos na vitória às seduções do mal.
O Evangelho da Transfiguração do Senhor põe diante dos nossos olhos a glória de Cristo, que antecipa a ressurreição e que anuncia a divinização do homem. A comunidade cristã toma consciência de ser conduzida, como os apóstolos Pedro, Tiago e João, «em particular, a um alto monte» (Mt 17, 1), para acolher de novo em Cristo, como filhos no Filho, o dom da Graça de Deus: «Este é o Meu Filho muito amado: n’Ele pus todo o Meu enlevo. Escutai-O» (v. 5). É o convite a distanciar-se dos boatos da vida cotidiana para se imergir na presença de Deus: Ele quer transmitir-nos, todos os dias, uma Palavra que penetra nas profundezas do nosso espírito, onde discerne o bem e o mal (cf. Hb 4, 12) e reforça a vontade de seguir o Senhor.
O pedido de Jesus à samaritana - «Dá-Me de beber» (Jo 4, 7) - que é proposto na liturgia do terceiro domingo, exprime a paixão de Deus por todos os homens e quer suscitar no nosso coração o desejo do dom da «água a jorrar para a vida eterna» (v. 14): é o dom do Espírito Santo, que faz dos cristãos «verdadeiros adoradores» capazes de rezar ao Pai «em espírito e verdade» (v. 23). Só esta água pode extinguir a nossa sede do bem, da verdade e da beleza! Só esta água, que nos foi doada pelo Filho, irriga os desertos da alma inquieta e insatisfeita, «enquanto não repousar em Deus», segundo as célebres palavras de Santo Agostinho.
O domingo do cego de nascença apresenta Cristo como luz do mundo. O Evangelho interpela cada um de nós: «Tu crês no Filho do Homem?». «Creio, Senhor» (Jo 9, 35.38), afirma com alegria o cego de nascença, fazendo-se voz de todos os crentes. O milagre da cura é o sinal que Cristo, juntamente com a vista, quer abrir o nosso olhar interior, para que a nossa fé se torne cada vez mais profunda e possamos reconhecer n’Ele o nosso único Salvador. Ele ilumina todas as obscuridades da vida e leva o homem a viver como «filho da luz».
Quando, no quinto domingo, nos é proclamada a ressurreição de Lázaro, somos postos diante do último mistério da nossa existência: «Eu sou a ressurreição e a vida... Crês nisto?» (Jo 11, 25-26). Para a comunidade cristã é o momento de depor com sinceridade, juntamente com Marta, toda a esperança em Jesus de Nazaré: «Sim, Senhor, creio que Tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo» (v. 27). A comunhão com Cristo nesta vida prepara-nos para superar o limite da morte, para viver sem fim n’Ele. A fé na ressurreição dos mortos e a esperança da vida eterna abrem o nosso olhar para o sentido derradeiro da nossa existência: Deus criou o homem para a ressurreição e para a vida, e esta verdade doa a dimensão autêntica e definitiva à história dos homens, à sua existência pessoal e ao seu viver social, à cultura, à política, à economia. Privado da luz da fé todo o universo acaba por se fechar num sepulcro sem futuro, sem esperança.
O percurso quaresmal encontra o seu cumprimento no Tríduo Pascal, particularmente na Grande Vigília na Noite Santa: renovando as promessas batismais, reafirmamos que Cristo é o Senhor da nossa vida, daquela vida que Deus nos comunicou quando renascemos «da água e do Espírito Santo», e reconfirmamos o nosso firme compromisso em corresponder à ação da Graça para sermos seus discípulos.
3. O nosso imergir-nos na morte e ressurreição de Cristo através do Sacramento do Batismo, estimula-nos todos os dias a libertar o nosso coração das coisas materiais, de um vínculo egoísta com a «terra», que nos empobrece e nos impede de estar disponíveis e abertos a Deus e ao próximo. Em Cristo, Deus revelou-se como Amor (cf 1 Jo 4, 7-10). A Cruz de Cristo, a «palavra da Cruz» manifesta o poder salvífico de Deus (cf. 1 Cor 1, 18), que se doa para elevar o homem e dar-lhe a salvação: amor na sua forma mais radical (cf. Enc. Deus caritas est, 12). Através das práticas tradicionais do jejum, da esmola e da oração, expressões do empenho de conversão, a Quaresma educa para viver de modo cada vez mais radical o amor de Cristo. O Jejum, que pode ter diversas motivações, adquire para o cristão um significado profundamente religioso: tornando mais pobre a nossa mesa aprendemos a superar o egoísmo para viver na lógica da doação e do amor; suportando as privações de algumas coisas – e não só do supérfluo – aprendemos a desviar o olhar do nosso «eu», para descobrir Alguém ao nosso lado e reconhecer Deus nos rostos de tantos irmãos nossos. Para o cristão o jejum nada tem de intimista, mas abre em maior medida para Deus e para as necessidades dos homens, e faz com que o amor a Deus seja também amor ao próximo (cf. Mc 12, 31).
No nosso caminho encontramo-nos perante a tentação do ter, da avidez do dinheiro, que insidia a primazia de Deus na nossa vida. A cupidez da posse provoca violência, prevaricação e morte: por isso a Igreja, especialmente no tempo quaresmal, convida à prática da esmola, ou seja, à capacidade de partilha. A idolatria dos bens, ao contrário, não só afasta do outro, mas despoja o homem, torna-o infeliz, engana-o, ilude-o sem realizar aquilo que promete, porque coloca as coisas materiais no lugar de Deus, única fonte da vida. Como compreender a bondade paterna de Deus se o coração está cheio de si e dos próprios projectos, com os quais nos iludimos de poder garantir o futuro? A tentação é a de pensar, como o rico da parábola: «Alma, tens muitos bens em depósito para muitos anos...». «Insensato! Nesta mesma noite, pedir-te-ão a tua alma...» (Lc 12, 19-20). A prática da esmola é um chamado à primazia de Deus e à atenção para com o próximo, para redescobrir o nosso Pai bom e receber a sua misericórdia.
Em todo o período quaresmal, a Igreja oferece-nos com particular abundância a Palavra de Deus. Meditando-a e interiorizando-a para a viver quotidianamente, aprendemos uma forma preciosa e insubstituível de oração, porque a escuta atenta de Deus, que continua a falar ao nosso coração, alimenta o caminho de fé que iniciámos no dia do Batismo. A oração permite-nos também adquirir uma nova concepção do tempo: de fato, sem a perspectiva da eternidade e da transcendência ele cadencia simplesmente os nossos passos rumo a um horizonte que não tem futuro. Ao contrário, na oração encontramos tempo para Deus, para conhecer que «as suas palavras não passarão» (cf. Mc 13, 31), para entrar naquela comunhão íntima com Ele «que ninguém nos poderá tirar» (cf. Jo 16, 22) e que nos abre à esperança que não desilude, à vida eterna.
Em síntese, o itinerário quaresmal, no qual somos convidados a contemplar o Mistério da Cruz, é «fazer-se conformes com a morte de Cristo» (Fl 3, 10), para realizar uma conversão profunda da nossa vida: deixar-se transformar pela acção do Espírito Santo, como São Paulo no caminho de Damasco; orientar com decisão a nossa existência segundo a vontade de Deus; libertar-nos do nosso egoísmo, superando o instinto de domínio sobre os outros e abrindo-nos à caridade de Cristo. O período quaresmal é momento favorável para reconhecer a nossa debilidade, acolher, com uma sincera revisão de vida, a Graça renovadora do Sacramento da Penitência e caminhar com decisão para Cristo.
Queridos irmãos e irmãs, mediante o encontro pessoal com o nosso Redentor e através do jejum, da esmola e da oração, o caminho de conversão rumo à Páscoa leva-nos a redescobrir o nosso Batismo. Renovemos nesta Quaresma o acolhimento da Graça que Deus nos concedeu naquele momento, para que ilumine e guie todas as nossas ações. Tudo o que o Sacramento significa e realiza, somos chamados a vivê-lo todos os dias num seguimento de Cristo cada vez mais generoso e autêntico. Neste nosso itinerário, confiemo-nos à Virgem Maria, que gerou o Verbo de Deus na fé e na carne, para nos imergir como ela na morte e ressurreição do seu Filho Jesus e ter a vida eterna.
Vaticano.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

REUNIÃO PLENÁRIA COM TODOS OS COORDENADORES DA PARÓQUIA SANTA CÂNDIDA


 Aconteceu nesta Sexta Feira, passada dia 18 de Fevereiro as 20 horas no salão Paroquial Santa Cândida, reunião Plenaria, com todos os Coordenadores de Pastorais, Movimentos e Cae; para juntos colocarmos em prática as Linhas de ação, estudadas de acordo com o planejamento feito na reunião do dia 16 de Fevereiro já noticiado aqui no Blog! O Paroco Simão Valenga, entregou o planejamento para todos os Coordenadores, e pediu para cada Pastoral,Movimento e Cae, analizasse o planejamento de 2011 em equipe conforme fotos a baixo, e se alguma Pastoral ou Movimento e Cae, verificasse alguma coisa que não seria bom para a sua Pastoral ou Movimento, pedisse a palavra e comunicasse; todos aprovaram as Linhas de ação e planejamento para 2011 e deu se como encerrado a reunião com oração.




CAE E CCP analizando planejamento e linha de ação
Paróco Simão Valenga, perguntando se á alguma duvida, se está tudo certo!
Diacono Leonardo do lado do Pe.Simão Valenga, falando sobre o planejamento da Pastoral do Batismo!

Todos os Coordenadores em pé para a oração!
       

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O BLOG CATÓLICO MAIS VISITADO NESTE DOMINGO

Parabéns a todos que tem visitado este blog, segundo estatísticas neste Domingo, este veiculo de comunicação foi recorde em participação no Brasil e outros 15 Países; graças a você que nos prestigia com a sua participação!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF RECEBE A CNBB NO PLANALTO

Presidência da CNBB é recebida pela presidente Dilma Rousseff


Os bispos da Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Geraldo Lyrio Rocha (presidente), dom Luis Soares Vieira (vice-presidente) e dom Dimas Lara Barbosa (secretário geral), foram recebidos em audiência, nesta quinta-feira, 17, pela presidente da República, Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. A audiência começou por volta das 15h30 e durou pouco mais de 40 minutos.
A CNBB conversou com a presidente sobre trabalhos sociais de fronteiras como assistência aos aidéticos, aos dependentes químicos, pessoas com deficiência, filantropia. Outros temas que fizeram parte da pauta foram a erradicação da miséria e da fome, economia solidária, agricultura familiar.
A Presidência da CNBB discutiu também com a presidente Dilma a questão dos  povos indígenas e quilombolas, água para a população do nordeste, reformas política e agrária e o Código Florestal.
Segundo o presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, a presidente Dilma acolheu com muita atenção os assuntos apresentados pela CNBB. Ao final da audiência, a presidente pediu a dom Geraldo que benzesse a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que ela traz junto à sua mesa de trabalho

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

NOSSA MISSÃO IR ALÉM DAS FRONTEIRAS

Com a sua participação visitando este veiculo de informação e Evangelização, hoje este blog, http://www.missoespopulares.blogspot.com/ está sendo visitado em 15 Países, e com a sua participação, a informação e o Evangelho de Jesus Cristo pode ir mais longe! Pela ordem estamos sendo visitados pelo; Brasil, Estados Unidos, Portugal, Rússia, Croácia, Alemanha, Itália, Holanda, França, Malásia, Canadá, Reino Unido, Paraguai, Japão e Polonia! (dados disponibilizados pelo link de estatistica do Blog).
Nosso muito obrigado e continue ajudando nos a divulgar este Blog!

REUNIÃO PARA LINHAS DE AÇÃO EM 2011 NA PARÓQUIA SANTA CÂNDIDA





Na força do Espírito Santo, aconteceu nesta Quarta Feira dia 16 apartir das 18 horas na casa Paroquial em Santa Cândida, uma reunião com intuito de se aprofundar no estudo do planejamento das linhas de ação e prioridades da Igreja Santa Cândida, em comunhão com os desafios da Igreja no mundo de hoje. Participaram desta reunião, Padre Elizeu, Padre Luís, Padre Edilson, Paróco Simão Valenga, Diácono Leonardo, os coordenadores Aluísio e Lucimar, representante das Capelas Sr.Flores, e os coordenadores Tarcisio e Silvana. O incansável Padre Simão Valenga fez a abertura da reunião com oração e a pauta das prioridades dando liberdade a cada um acrescentar aquilo de mais importante para a Igreja na Paróquia Santa Cândida. Em detalhes a equipe estudou para o ano de 2011 os diversos temas em sua radicalidade, como o mês missionário, jubileu da Paróquia, Campanha da Fraternidade, Caminhando 24, a nova Pastoral do Batismo, Comunicação, Savi , a Festa da Padroeira, o Diaconato que acontecerá em 2011, a Quaresma, e outros assuntos segundarios. Houve na reunião momentos difíceis dentro dos temas e momentos de alegria, por fim os temas estudados na reunião ficou decidido que vai para a reunião Plenário com todas as Lideranças Pastorais da Paróquia nesta Sexta Feira dia 18 para juntos trabalharmos as Linhas de ação em 2011. Antes do termino da reunião o Sr. Aluizio comentou sobre as atividades das Capelas na Festa da Padroeira! O Coordenador Tarcisio, colocou que seria importante uma participação das Capelas nos lucros da Festa na Matriz, que poderia ser estudado pelo CAE um percentual na participação dos lucros, para que as Capelas tenha melhor estrutura financeira e participação na Festa. A ideia foi aprovada e será analisada pelo CAE. Em seguida o Sr.Aluizio comentou sobre o Jubileu da Paróquia, os 75 anos que já está decidido o novenário com a visita da imagem da Padroeira Santa Cândida nas Capelas, que vai começar com a novena na Igreja Matriz, e em seguida a visita as Capelas com a novena conforme já noticiando aqui no Blog, por fim todos fizeram as considerações finais e com oração ea Bênção de Deus o Padre Simão valenga encerrou a reunião, convocando todos os movimentos da Paróquia e Pastorais para a reunião Plenária de Sexta Feira dia 18 ás 20 horas no salão Paroquial.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ESCRITOR DIZ QUE PERSONAGEM MOÇO VAI GANHAR VIDA NO BLOG


Musica;  Eu venho do sul e do norte, do oeste e do leste e de todo lugar; Estrada da vida eu percorro levando o socorro a quem precisar; Assunto de Paz é meu forte eu cruzo as montanhas eu vou aprender; O mundo não me satisfaz o que eu quero é a Paz o que eu quero é viver; No peito eu levo uma Cruz, no meu coração o que disse Jesus!  Olá amigos, que nos escreve através do e-mail  missoespopulares.sc@gmail.com , é com alegria que estamos atendendo ao pedido de muitos que nos escreve para darmos seguimento em nosso trabalho que tem repercutido em diversos setores de nossa sociedade assim como em outros 15 Países, sendo assim gostaria de dizer aos Amigos que nos escreve, que vamos dar vida ao personagem Moço, mencionado em Um Novo Jeito de Evangelizar; Assim como nos outros trabalhos publicados aqui no blog com repercussão em outros Países, como por exemplo o Rito do Batismo; Nós demoramos um pouco nestes trabalhos pois é preciso inspiração no momento de escrever, e normalmente quando escrevo eu não uso a correção confiando plenamente naquilo que recebemos de Deus; A inspiração para escrever! Gostaria de lembrar que a letra da musica colocada no inicio desta conversa é do Pe.Zezinho ''Eu Venho do Sul e do Norte'' Um abraço a todos e continue nos prestigiando com a sua participação; Agora antes que eu me esqueça deixa eu terminar de cantar a Musica!  No peito eu levo uma Cruz, no meu coração o que disse Jesus; Eu sei que eu não tenho a idade da maturidade de quem já viveu; Mas sei que eu já tenho a idade de ver a verdade o que eu quero é ser Eu!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

CATEQUESE PARA O BATISMO EM SANTA CÂNDIDA


 Os  Pais e Padrinhos que pede o  Batismo para seus filhos e afilhados, nos últimos 10 anos, está fazendo da Paróquia Santa Cândida um Santuário do Batismo, devido a tantos Pais e Padrinhos que procura a Catequese para o Batismo para seus filhos; Neste Sábado dia 12 de Fevereiro, os Catequistas do Batismo Tarcisio Cirino e Francizek, mergulharão no Rito do Batismo, até a alma do Batismo; diante de grande número de Pais e Padrinhos que se inscreveram para a Catequese do Batismo; Além de outras pessoas que não foi incristo na Catequese do Batismo e vieram de outras comunidades para conhecer a Catequese do Batismo na Paróquia Santa Cândida e levar o trabalho para suas comunidades! Com o grande numero de Pais e Padrinhos a participar da Catequese do Batismo, a Sala ficou pequena e muitos Pais e Padrinhos, ficaram para o próximo Curso de Batismo ou seja a próxima Catequese para o Batismo, que será no dia 26 de Fevereiro, e será ministrado pelos Catequistas do Batismo Eugénio e António Cordeiro.





TARCISIO E SUA ESPOSA

O AMIGO FRANCISEK

TARCISIO E A CATEQUESE PARA O BATISMO

FRANCISEK NA CATEQUESE PARA O BATISMO


RÁDIO VATICANO

80 anos da Rádio Vaticano

A Rádio Vaticano comemora, neste sábado, 12,  80 anos de fundação. Para comemorar a dada, foi inaugurada ontem, 10, uma exposição da Rádio Vaticano, montada na entrada dos Museus Vaticanos, narrando, com antigos e novos instrumentos, os 80 anos da “Rádio do Papa”. A exposição poderá ser visitada durante todo este ano.
No seu discurso o assessor para Assuntos Gerais da Secretaria de Estado, Mons. Peter Bryan WellsMons, destacou que “evangelizar significa também afrontar as dificuldades às quais a Igreja é sujeita. Rádio Vaticano deve ser a voz da Igreja para contrastar aqueles que afirmam que a Igreja não é capaz de renovar-se internamente, demonstrando ao invés, a firme vontade de purificação manifestada pelo Seu Supremo Pastor. Rádio Vaticano deve ser a voz que promove a liberdade religiosa no mundo. Rádio Vaticano deve ser a voz que chama ao diálogo e à concórdia em um mundo que usa cada vez mais o ódio e à violência para resolver conflitos”.
“Sendo a Igreja de natureza universal, a Rádio Vaticano tem uma missão universal. É ouvida em mais de 40 idiomas e se propõe como instrumento por excelência para o diálogo com culturas e religiões diferentes”, acrescentou Mons. Wells.
O Assessor da Secretaria de Estado da Santa Sé disse, ainda, que a Rádio Vaticano é como “um guia” para as outras emissoras católicas existentes no mundo e, por isso, deve estar sempre atualizada para garantir que sua mensagem chegue em tempo real a todos os cantos do mundo.
A Rádio Vaticano transmite atualmente em mais de 40 idiomas, incluindo o português,  para todo o mundo, através de cinco redes.
CNBB/Rádio Vaticano

SACERDÓCIO CRISTÃO NÃO É PARA SI MESMO

 
 

Sacerdócio cristão não existe para si mesmo, enfatiza Papa


 Rádio Vaticano


 
O Papa recebeu no Vaticano os membros da Fraternidade Sacerdotal dos Missionários de São Carlos Borromeu
Qual é o lugar do sacerdócio ordenado, na vida Igreja, e qual o lugar da vida comum na experiência sacerdotal? Estas as duas questões a que Bento XVI tratou de responder ao receber, na manhã deste sábado, 12, no Palácio Apostólico, os 400 participantes na assembleia geral da Fraternidade Sacerdotal dos Missionários de São Carlos Borromeu - padres ligados à Fraternidade de “Comunhão e Libertação”.

O Papa começou por recordar “uma verdade que se foi reafirmando com particular clareza a partir do século XIX e que encontrou uma significativa expressão na teologia do Concílio Vaticano II”. Isto é: que “o sacerdócio cristão não é existe para si mesmo”. Assim, Bento XVI disse que cada sacerdote pode, portanto, dizer aos fiéis, parafraseando Santo Agostinho: ‘convosco sou cristão, para vós, sou padre'”.

“A glória e a alegria do sacerdócio é servir Cristo e o seu Corpo místico. Ele representa, no interior da Igreja, uma vocação belíssima e singular, que torna Cristo presente, porque participa no único e eterno Sacerdócio de Cristo. A presença de vocações sacerdotais é um sinal seguro da verdade e da vitalidade de uma comunidade cristã”, ressaltou o Santo Padre.

De fato, Deus chama sempre. Bento XVI explicou que não existe crescimento verdadeiro e fecundo, na Igreja, sem uma autêntica presença sacerdotal que a apoie e alimente.

Neste contexto, o Papa exprimiu a sua gratidão a todos os que dedicam as suas energias à formação dos padres e à reforma da vida sacerdotal.

“Como toda a Igreja, também o sacerdócio tem necessidade de se renovar continuamente, reencontrando na vida de Jesus as formas mais essenciais do seu próprio ser”, salientou o Pontífice.

Contudo, qualquer renovação da vida sacerdotal tem que ter em contas alguns elementos irrenunciáveis.. “Antes de mais uma profunda educação à meditação e à oração, vividas como diálogo com o Senhor ressuscitado, presente na sua Igreja”,  sublinhou Bento XVI. Em segundo lugar, “um estudo da Teologia que permita encontrar as verdades cristãs na forma de uma síntese ligada à vida da pessoa e da comunidade”, completou.

Foi neste contexto que o Papa destacou o valor da vida comum, na existência sacerdotal, retomando uma das suas declarações no livro-entrevista “Sal da Terra”: “É importante que os padres não vivam isolados, cada um da sua parte, mas estejam juntos em pequenas comunidades, apoiando-se uns aos outros e fazendo assim experiência do estar juntos no serviço a Cristo e na renúncia pelo Reino dos céus, com uma crescente consciência disto mesmo”.

O Pontífice esclareceu que esta proposta de vida comum dos padres não é uma estratégia para dar resposta, por exemplo, à carência de sacerdotes, ao à sua solidão ou fragilidade. Pode ser que ajude nesse sentido, mas “só na medida em que a vida fraterna for concebida e vivida como um caminho para se imergir na realidade da comunhão”.

“A vida comum é expressão do dom de Cristo que é a Igreja e está prefigurada na comunidade apostólica, que deu lugar aos presbíteros. Nenhum sacerdote administra algo seu, mas participa com os outros irmãos num dom sacramental que vem diretamente de Jesus”, enfatizou o Santo Padre.

Por um lado, o Papa observou que “viver com outros significa aceitar a necessidade da própria conversão contínua e sobretudo descobrir a beleza desse caminho, a alegria da humildade, da penitência, mas também da conversão, do perdão recíproco, do apoio mútuo”. Em todo o caso, sem entrar no diálogo eterno que o Filho mantém com o Pai, no Espírito Santo, não é possível uma autêntica vida comum.

“Há que estar com Jesus para poder estar com os outros. É este o coração da missão. Na companhia de Cristo e dos irmãos, cada sacerdote pode encontrar as energias necessárias para se ocupar dos homens, para assumir as necessidades espirituais e materiais das pessoas que encontra, para ensinar com palavras sempre novas, ditadas pelo amor, as verdades eternas da fé de que também os nossos contemporâneos têm sede”, ressaltou Bento XVI.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

MENSAGEM DE VOSSA SANTIDADE PAPA BENTO XVI

Quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011, 10h22

Mensagem do Papa para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações


 Santa Sé


Queridos irmãos e irmãs!

O 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que será celebrado no dia 15 de maio de 2011, 4º Domingo de Páscoa, convida-nos a refletir sobre o tema: "Propor as vocações na Igreja local". Há 60 anos, o Venerável Papa Pio XII instituiu a Pontifícia Obra para as Vocações Sacerdotais. Depois, em muitas dioceses, foram fundadas pelos Bispos obras semelhantes, animadas por sacerdotes e leigos, correspondendo ao convite do Bom Pastor, quando, "ao ver as multidões, encheu-se de compaixão por elas, por andarem fatigadas e abatidas como ovelhas sem pastor" e disse: "A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe" (Mt 9, 36-38).
A arte de promover e cuidar das vocações encontra um luminoso ponto de referência nas páginas do Evangelho, onde Jesus chama os seus discípulos para O seguir e educa-os com amor e solicitude. Objeto particular da nossa atenção é o modo como Jesus chamou os seus mais íntimos colaboradores a anunciar o Reino de Deus (cf. Lc 10, 9). Para começar, vê-se claramente que o primeiro ato foi a oração por eles: antes de os chamar, Jesus passou a noite sozinho, em oração, à escuta da vontade do Pai (cf. Lc 6, 12), numa elevação interior acima das coisas de todos os dias. A vocação dos discípulos nasce, precisamente, no diálogo íntimo de Jesus com o Pai. As vocações ao ministério sacerdotal e à vida consagrada são fruto, primariamente, de um contato constante com o Deus vivo e de uma oração insistente que se eleva ao "Dono da messe" quer nas comunidades paroquiais, quer nas famílias cristãs, quer nos cenáculos vocacionais.
O Senhor, no início da sua vida pública, chamou alguns pescadores, que estavam a trabalhar nas margens do lago da Galileia: "Vinde e segui-Me, e farei de vós pescadores de homens" (Mt 4, 19). Mostrou-lhes a sua missão messiânica com numerosos "sinais", que indicavam o seu amor pelos homens e o dom da misericórdia do Pai; educou-os com a palavra e com a vida, de modo a estarem prontos para ser os continuadores da sua obra de salvação; por fim, "sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai" (Jo 13, 1), confiou-lhes o memorial da sua morte e ressurreição e, antes de subir ao Céu, enviou-os por todo o mundo com este mandato: "Ide, pois, fazer discípulos de todas as nações" (Mt 28, 19).

A proposta, que Jesus faz às pessoas ao dizer-lhes "Segue-Me!", é exigente e exaltante: convida-as a entrar na sua amizade, a escutar de perto a sua Palavra e a viver com Ele; ensina-lhes a dedicação total a Deus e à propagação do seu Reino, segundo a lei do Evangelho: "Se o grão de trigo cair na terra e não morrer, fica só ele; mas, se morrer, dá muito fruto" (Jo 12, 24); convida-as a sair da sua vontade fechada, da sua ideia de auto-realização, para embrenhar-se noutra vontade, a de Deus, deixando-se guiar por ela; faz-lhes viver em fraternidade, que nasce desta disponibilidade total a Deus (cf. Mt 12, 49-50) e se torna o sinal distintivo da comunidade de Jesus: "O sinal por que todos vos hão de reconhecer como meus discípulos é terdes amor uns aos outros" (Jo 13, 35).

Também hoje, o seguimento de Cristo é exigente; significa aprender a ter o olhar fixo em Jesus, a conhecê-Lo intimamente, a escutá-Lo na Palavra e a encontrá-Lo nos Sacramentos; significa aprender a conformar a própria vontade à d’Ele. Trata-se de uma verdadeira e própria escola de formação para quantos se preparam para o ministério sacerdotal e a vida consagrada, sob a orientação das autoridades eclesiásticas competentes. O Senhor não deixa de chamar, em todas as estações da vida, para partilhar a sua missão e servir a Igreja no ministério ordenado e na vida consagrada; e a Igreja "é chamada a proteger este dom, a estimá-lo e amá-lo: ela é responsável pelo nascimento e pela maturação das vocações sacerdotais" (JOÃO PAULO II, Exort. ap. pós-sinodal Pastores dabo vobis, 41). Especialmente neste tempo, em que a voz do Senhor parece sufocada por "outras vozes" e a proposta de O seguir oferecendo a própria vida pode parecer demasiado difícil, cada comunidade cristã, cada fiel, deveria assumir, conscientemente, o compromisso de promover as vocações. É importante encorajar e apoiar aqueles que mostram claros sinais de vocação à vida sacerdotal e à consagração religiosa, de modo que sintam o entusiasmo da comunidade inteira quando dizem o seu "sim" a Deus e à Igreja. Da minha parte, sempre os encorajo como fiz quando escrevi aos que se decidiram entrar no Seminário: "Fizestes bem [em tomar essa decisão], porque os homens sempre terão necessidade de Deus – mesmo na época do predomínio da técnica no mundo e da globalização –, do Deus que Se mostrou a nós em Jesus Cristo e nos reúne na Igreja universal, para aprender, com Ele e por meio d’Ele, a verdadeira vida e manter presentes e tornar eficazes os critérios da verdadeira humanidade" (Carta aos Seminaristas, 18 de Outubro de 2010).
É preciso que cada Igreja local se torne cada vez mais sensível e atenta à pastoral vocacional, educando a nível familiar, paroquial e associativo, sobretudo os adolescentes e os jovens – como Jesus fez com os discípulos – para maturarem uma amizade genuína e afetuosa com o Senhor, cultivada na oração pessoal e litúrgica; para aprenderem a escuta atenta e frutuosa da Palavra de Deus, através de uma familiaridade crescente com as Sagradas Escrituras; para compreenderem que entrar na vontade de Deus não aniquila nem destrói a pessoa, mas permite descobrir e seguir a verdade mais profunda de si mesmos; para viverem a gratuidade e a fraternidade nas relações com os outros, porque só abrindo-se ao amor de Deus é que se encontra a verdadeira alegria e a plena realização das próprias aspirações. "Propor as vocações na Igreja local" significa ter a coragem de indicar, através de uma pastoral vocacional atenta e adequada, este caminho exigente do seguimento de Cristo, que, rico de sentido, é capaz de envolver toda a vida.
Dirijo-me particularmente a vós, queridos Irmãos no Episcopado. Para dar continuidade e difusão à vossa missão de salvação em Cristo, "promovam o mais possível as vocações sacerdotais e religiosas, e de modo particular as missionárias" (Decr. Christus Dominus, 15). O Senhor precisa da vossa colaboração, para que o seu chamamento possa chegar aos corações de quem Ele escolheu. Cuidadosamente escolhei os dinamizadores do Centro Diocesano de Vocações, instrumento precioso de promoção e organização da pastoral vocacional e da oração que a sustenta e garante a sua eficácia. Quero também recordar-vos, amados Irmãos Bispos, a solicitude da Igreja universal por uma distribuição equitativa dos sacerdotes no mundo. A vossa disponibilidade face a dioceses com escassez de vocações torna-se uma bênção de Deus para as vossas comunidades e constitui, para os fiéis, o testemunho de um serviço sacerdotal que se abre generosamente às necessidades da Igreja inteira.
O Concílio Vaticano II recordou, explicitamente, que o «dever de fomentar as vocações pertence a toda a comunidade cristã, que as deve promover sobretudo mediante uma vida plenamente cristã» (Decr. Optatam totius, 2). Por isso, desejo dirigir uma fraterna saudação de especial encorajamento a quantos colaboram de vários modos nas paróquias com os sacerdotes. Em particular, dirijo-me àqueles que podem oferecer a própria contribuição para a pastoral das vocações: os sacerdotes, as famílias, os catequistas, os animadores. Aos sacerdotes recomendo que sejam capazes de dar um testemunho de comunhão com o Bispo e com os outros irmãos no sacerdócio, para garantirem o húmus vital aos novos rebentos de vocações sacerdotais. Que as famílias sejam "animadas pelo espírito de fé, de caridade e piedade" (Ibid., 2), capazes de ajudar os filhos e as filhas a acolherem, com generosidade, o chamamento ao sacerdócio e à vida consagrada. Convictos da sua missão educativa, os catequistas e os animadores das associações católicas e dos movimentos eclesiais "de tal forma procurem cultivar o espírito dos adolescentes a si confiados, que eles possam sentir e seguir de bom grado a vocação divina" (Ibid., 2).
Queridos irmãos e irmãs, o vosso empenho na promoção e cuidado das vocações adquire plenitude de sentido e de eficácia pastoral, quando se realiza na unidade da Igreja e visa servir a comunhão. É por isso que todos os momentos da vida da comunidade eclesial – a catequese, os encontros de formação, a oração litúrgica, as peregrinações aos santuários – são uma ocasião preciosa para suscitar no Povo de Deus, em particular nos mais pequenos e nos jovens, o sentido de pertença à Igreja e a responsabilidade em responder, com uma opção livre e consciente, ao chamamento para o sacerdócio e a vida consagrada.
A capacidade de cultivar as vocações é sinal característico da vitalidade de uma Igreja local. Invoquemos, com confiança e insistência, a ajuda da Virgem Maria, para que, seguindo o seu exemplo de acolhimento do plano divino da salvação e com a sua eficaz intercessão, se possa difundir no âmbito de cada comunidade a disponibilidade para dizer "sim" ao Senhor, que não cessa de chamar novos trabalhadores para a sua messe. Com estes votos, de coração concedo a todos a minha Bênção Apostólica.
Vaticano, 15 de Novembro de 2010

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

CATEQUESE PARA O BATISMO ( SÁBADO DIA 12 FEVEREIRO )

 Alô amigos, gostaríamos de agradecer a participação de todos através do e-mail missoespopulares.sc@gmail.com com as perguntas que nos foi feito com relação ao Batismo, aproveitamos a oportunidade para informar que no próximo sábado dia 12 Fevereiro a partir das 15.30 horas, o Palestrista Tarcisio Cirino e o amigo Francisek estarão fazendo uma catequese para o Batismo; na sala 1 do salão Paroquial Santa Cândida, um abraço a todos!