segunda-feira, 21 de maio de 2018

FRANCISCO ANUNCIA O NOME DE 14 NOVOS CARDEAIS.

                                           

Papa Francisco surpreendeu todos (inclusive os recém-nomeados) ao comunicar este domingo (20/05) a realização de um consistório no dia 29 de junho.

A Igreja vai ganhar no próximo dia 29 de junho 14 novos cardeais. O Papa Francisco surpreendeu todos (inclusive os recém-nomeados) ao comunicar este domingo (20/05), após a oração mariana do Regina Coeli, um novo consistório, sinal de universalidade da Igreja, “que continua a anunciar o amor misericordioso de Deus a todos os homens da terra”.

“ A integração dos novos cardeais na Igreja de Roma manifesta também a relação indissolúvel entre a Sé de Pedro e as Igrejas particulares espalhadas nos mundo ”
Eles são:
Sua Beatitude Louis-Raphaël I Sako, Patriarca de Babilônia dos Caldeus;
Dom Luis Ladaria, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé;
Dom Angelo De Donatis, Vigário-geral de Roma;
Dom Giovanni Angelo Becciu, Substituto para Assuntos Gerais da Secretaria de Estado e Delegado especial junto à Soberana Ordem de Malta;
Dom Konrad Krajewski, Esmoleiro apostólico;
Dom Joseph Coutts, Arcebispo de Karachi (Paquistão);
Dom António Augusto dos Santos Marto, Bispo de Leiria-Fátima (Portugal);
Dom Pedro Barreto, Arcebispo de Huancayo (Peru) e Vice-Presidente da REPAM, Rede Eclesial Pan-amazônica;
Dom Desiré Tsarahazana, Arcebispo de Toamasina (Madagascar);
Dom Giuseppe Petrocchi, Arcebispo de L’Aquila (Itália);
Dom Tomas Aquinas Manyo Maeda, Arcebispo de Osaka (Japão).
Além destes, Francisco nomeou também como membros do Colégio Cardinalício um arcebispo, um bispo e um religioso mais idosos (sem direito de voto em um eventual conclave) que se distinguiram por seu serviço à Igreja:
Dom Sergio Obeso Rivera, 86, Arcebispo emérito de Jalapa (México);
Dom Toribio Porco Ticona, 81, Prelado emérito de Corocoro (Bolívia);
Padre Aquilino Bocos Merino, 80, claretiano espanhol.

A IGREJA INVISÍVEL: PASTORAIS SOCIAIS

Veiculo da Missão: Me lembro como se fosse hoje, quando na história do Brasil, um Papa, visitou pela primeira vez esta terra da Santa Cruz.

Depois de algumas décadas, ainda posso ouvir a sua voz o seu clamor, gritando em meus ouvidos através de São João Paulo II;"O Brasil precisa de santos, o Brasil precisa de muitos santos!" 

O Brasil precisa muito de você..

Em tempos onde predomina o gnosticismo, pelagianismo, pós-verdade: as grandes mídias a serviço das grandes instituições, organizações, conglomerados financeiros internacional, manipula a consciência do povo, na conjuntura social econômica e politica, para no presente e no futuro próximo assumir agenda de governo, com aqueles que representa os interesses dos grandes bancos, e dentro deste mundo cruel das tecnologias que escraviza as pessoas, somos desafiados a ser livres, sendo igreja, e juntos lutar pela causa do povo que sofre, em especial os mais pobres.   

Me parece que é dentro deste contexto que somos chamados a cumprir a nossa missão, sendo igreja, comprometida com a "Casa Comum", que muitas vezes por inocência ou falta de conhecimento, sofre com as mazelas de nosso sistema de governo politico global, onde todos(as) estamos inseridos, e padecemos.

A Comissão Pastoral da Ação Social Transformadora, realizou nos dia 04 a 06 Maio na casa de encontros dos Freis Carmelitas na Vila Fanny, em Curitiba, o 9° Encontro das Pastorais Sociais e Organismos do Regional Sul 2 CNBB, com a participação dos representantes das 18 dioceses do Paraná, na coordenação de Jardel Neves Lopes, sendo o tema do encontro: Alegrai-vos e Exultai-vos ( Gaudete et Exultate )
Após reunião com as coordenações das Pastorais Sociais, aconteceu no sábado dia 05, na parte da manhã, estudo de análise de conjuntura econômica social com o cientista político, Masimo Della Justina, professor do Departamento de Ciências Econonomicas da PUCPR, mestre pela London School of Economics.
 Masimo, aprofundou análise conjuntural e Estrutural da economia e da política no contexto global, para que todas coordenações das Pastorais Sociais, compreendesse, como os grandes Países,
conglomerados financeiros, utiliza-se da boa fé das pessoas, influenciando através das grandes empresas, mídias, e  descarta as pessoas e governos em momentos oportuno de acordo com os interesses financeiros, para controle econômico e politico do País.
Na parte da tarde aconteceu estudo da nova encíclica do Papa Francisco: GAUDETE ET EXSULTATE, com o teólogo João Santana.
No domingo ás 7:30h o dia começou com a Santa Missa, presidida por Dom Francisco Cota, bispo referencial das Pastorais Sociais. 

Na sequência as coordenações das Pastorais Sociais do Regional Sul 2 CNBB, se reuniram com as coordenações das demais Pastorais, para dialogar, estudar como trabalhar a evangelização de nosso tempo em conjunto, com as demais Pastorais.

O encontro encerrou ás 12:00h, domingo dia 06 de Maio, com oração e benção dos sacerdotes presentes.

Obs: No vídeo á cima, selecionamos a fala da coordenação da Pastoral Carcerária, Pastoral indígena, com a reflexão de Dom Francisco Cota, e imagens do encontro. 

Em breve, publicaremos vídeos exclusivos de todas Pastorais Sociais, presente neste encontro.

Matéria: Tarcísio Cirino
07-05-2017


NO CORAÇÃO DE CURITIBA: DOM FRANCISCO SOLTOU O VERBO.

Veiculo da Missão: O dia do trabalho no Brasil, foi marcado de luto, tristeza, com famílias que não tiveram acesso a financiamentos para possuir a casa própria no País, e por falta de renda familiar, foram morar em um prédio abandonado pelo governo federal do lado de uma igreja que também sofreu as consequências e foi destruída pelo prédio que desabou em chamas, fogo, na noite escura, ceifando vidas de famílias excluídas da sociedade, em uma tragédia jamais vista nos últimos séculos que mostra a realidade social, atual, do pobre povo, onde as tecnologias de ponta a serviço da especulação financeira imobiliária levaram o Brasil, a um caos social.  
Na capital Curitiba, parte dos desempregados de diversas cidades do Brasil, acampados no bairro Santa Cândida, foram a pé, até o "Coração da Capital", ás 9:00h da manhã, participar da "Missa do Trabalhador e Trabalhadora na Praça Rui Barbosa, Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões, que foi presidida por Dom Francisco Cota, bispo auxiliar de Curitiba, e concelebrada com sacerdotes da Comissão da Dimensão Social da Arquidiocese de Curitiba".
"Em síntese": Dom Francisco Cota, durante a homilia, levou todos a refletir as causas e consequências, e cuidado que todos(as) precisamos ter com uma espiritualidade não encarnada  na "Casa Comum", em tempos de tecnologias de ponta, onde as alta tecnologias de nosso tempo está a serviço do capital, na busca desenfreada do lucro,sem importar com as consequências na "Casa Comum", estas tecnologias que deveria promover a unidade, Paz, e o bem para todos, não promove a dignidade da família, com trabalho, saúde, justiça, educação, criando sérios prejuízos na casa onde todos estamos inseridos, e hoje muitos saíram de casa e já não consegue mais voltar.

É preciso voltar para casa.. 
É preciso que a igreja seja a voz, profética de nosso tempo!!
Segundo Dom Francisco, em sua reflexão: Se a igreja está ou fica tolerante, indiferente com a problemática do quadro social em que todos estamos inseridos na "Casa Comum", é melhor que ela a igreja feche as suas portas, pois perdeu o profetismo.
Após a Santa Missa, ás 14:00h, aconteceu as manifestações do dia do trabalho, na Praça Generoso Marques.

Matéria: Tarcísio Cirino

 MENSAGEM DA CNBB AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS
1º DE MAIO DE 2018

“O clamor dos trabalhadores chegou aos ouvidos do Senhor todo-poderoso” (Tg 5,4)
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil -CNBB, fiel à sua missão profética, iluminada pela Palavra de Deus e pela Doutrina Social da Igreja, saúda os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil que celebram o seu dia neste 1º de Maio. “Convencida de que o trabalho constitui uma dimensão fundamental da existência do ser humano sobre a terra” (Laborem Exercens, 4), a Igreja coloca-se ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras em sua luta por justiça e dignidade, sobretudo, neste momento de prolongada crise vivida pelo Brasil.
O trabalho não é mercadoria, mas um modo de expressão direta da pessoa humana (cf. Mater et Magistra, 18) que, por meio dele, “deve procurar o pão quotidiano e contribuir para o progresso contínuo das ciências e da técnica, e sobretudo para a incessante elevação cultural e moral da sociedade, na qual vive em comunidade com os próprios irmãos” (Laborem Exercens, Intr.).
Além disso, recorda-nos o Papa Francisco, o trabalho humano é participação na criação que continua todos os dias, inclusive, graças às mãos, à mente e ao coração dos trabalhadores: “Na terra, há poucas alegrias maiores do que as que sentimos ao trabalhar, assim como há poucas dores maiores do que as do trabalho, quando ele explora, esmaga, humilha e mata” (Gênova, 2017). Com tão grande dignidade, o trabalho humano não pode ser governado por uma economia voltada exclusivamente para o lucro, sacrificando a vida e os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.
Ao Estado compete cuidar para que as relações de trabalho se deem na justiça e na equidade (cf. Mater et Magistra, 21). A solução para a crise, que abate o País, não pode provocar a perda de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Nos projetos políticos e reformas, o bem comum, especialmente dos mais pobres, e a soberania nacional devem estar acima dos interesses particulares, políticos ou econômicos.
Conforme temos insistido em nossos pronunciamentos, solidários com os movimentos sociais, especialmente com as organizações de trabalhadores e trabalhadoras que sofrem com as injustiças, com o desemprego e com as precárias condições de trabalho, reafirmamos seu papel indispensável para o avanço da democracia, apoiamos suas justas reivindicações e os incentivamos a contribuir, em clima de diálogo amplo e manifestações pacíficas, para a edificação da justiça, da fraternidade e da paz no mundo do trabalho, sendo “sal da terra e luz do mundo”, segundo a Palavra de Jesus.
Neste 1º de maio, mais uma vez, conclamamos os católicos e todas as pessoas de boa vontade a vencerem a tentação da indiferença e da omissão, colocando-se decididamente ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras, assumindo a defesa de seus direitos e de suas justas reivindicações.
O Senhor nosso Deus, que “ama a justiça e o direito” (Sl 32,5), nos conceda a graça de construirmos juntos um país verdadeiramente justo e democrático.
São José Operário, cuja memória hoje celebramos, nos acompanhe com seu exemplo e intercessão.
Brasília-DF, 30 de abril de 2018

Cardeal Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB
Dom Murilo S. Ramos Krieger
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB
Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

MISSÕES VOCACIONAL NO SETOR COLOMBO.

 Neste último domingo 22 abril; Na hora da misericórdia, as mensageiras(os) de capelinhas da Paróquia Sagrada Família, no setor Colombo, participaram de uma reunião formativa, com a diretoria do movimento de capelinhas da arquidiocese de Curitiba, com a presença da coordenadora paroquial das capelinhas: Sra.Irene e do roco: Pe.José Mussiolque muito agradeceu, a participação e presença de todos(as).
A tarde de formação, contou com a presença do assessor eclesiástico do movimento de capelinhas: Pe.Regis Soczek Bandil, que em estado de graça, trabalhou a motivação e protagonismo missionário dos leigos na igreja, com foco no projeto vocacional, aprofundando a espiritualidade do movimento de capelinhas, conforme documentos do Papa Francisco, que pede que aprendamos "Escutar, Discernir, Viver e dar testemunho que nos santifica, como mensageiras(os), envolvendo toda a comunidade que recebe as capelinhas a ser santos, para que tenhamos muitas e santas vocações, na família". 
O coordenador do setor, Tarcísio Cirino, trabalhou o novo planejamento e organização do movimento de capelinhas e grupos de reflexão, informando a todos(as) que em 2017,  elaborou um novo planejamento para o setor, com reuniões formativa paroquial, personalizada em todas Paróquias, e as aprovação das coordenações, teve inicio em fevereiro de 2018, na Paróquia Santa Terezinha de Liseux, as reuniões formativa nas paróquias, com objetivo de fortalecer a "Formação do Setor, com os Grupos de Reflexão e Movimento de Capelinhas", com data definida em reunião, foi agendado para dia 23 de Junho, com inicio 8:30h ás 11:30h, na Paróquia Santa Terezinha de Liseux,( Formação do Setor) com a presença: Dom Francisco Cota, Pe.Regis Bandil, Pe,Jéfferson, Padres do Setor, e participação de todos agentes de grupos de reflexão das Paróquias e mensageiras(os), do setor.
A coordenadora arquidiocesana; Josiane Andrade, agradeceu a presença de todos(as), parabenizou o belo trabalho das mensageiras(os), e junto a coordenação da região norte, Alice Adamowicz, apresentou para o setor Colombo, em primeira mão, para conhecimento de todos(as) o novo manual diretrizes do movimento de capelinhas da arquidiocese de Curitiba.

Matéria: 23-04-2018 

PARA ONDE IREMOS? NEOPENTECOSTALISMO?

Em tempos de "Pós-Verdade", muito se tem falado, através das redes sociais, e nas rodas de conversas, que o Paraná é um laboratório, de onde-se exporta ás suas experiências para toda a igreja do Brasil. 


Não posso afirmar que isso seja verdade, o que posso fazer é compartilhar, com você, as experiências que vivi, trabalhando, coordenando e participando das missões, a nível de arquidiocese de Curitiba, em especial, a partir do ano 2000, e mais tarde fazendo parte da "Assembleia do Povo de Deus", Regional Sul II.

Em nossas reuniões, pós-missões 2000, entendia-se, que a grande problemática social das diversas comunidades, no que-se refere aos trabalhos das Pastorais e Movimentos Sociais, erá o crescimento das diversas denominações neopentecostais nos bairros, e grupos e movimentos de raízes  "neopentecostal",  que crescia muito em todas comunidades católicas, trazendo dentro do contexto da época, sérios prejuízos a liturgia.

Estes movimentos de forma estratégica, oferecia as comunidades, os serviços que as instituições: igreja, escolas, sindicatos, governo, não fazia: E utilizando-se de escolas de formação de oratória para oração,pregação,louvor, atraia o povo, em especial os jovens, através da "emoção".

Com ferramentas de última geração,o neopentecostalismo, trabalhava as enfermidades existenciais de nosso século, através da mobilização da sociedade, para a pertença ao grupo,movimento, e procurava neutralizar no campo espiritual, e na sociedade com maestria o seu "inimigo", que entendia ser aqueles que pensa diferente, tendo como foco á "Teologia".

As formações de oratória dos leigos(as), funcionava, e o movimento crescia e produzia frutos bons, mais também nascia e crescia os frutos maus, com muitos excessos, através de radicais.  

Em nosso meio, nas reuniões, a quem pensava, que o único meio de corrigir os excessos dos grupos radicais, seria encontrar um Padre, que com conhecimento de causa, e "Equilíbrio",trabalhasse nesse meio.

Outros dizia que a solução era repensar os "Conselhos Pastorais das Paróquias", com um novo modelo de CCPs: onde todas coordenações de Pastorais, movimentos, se reunia junto ao Pároco, em reunião e realizava uma eleição para a escolha de uma coordenação geral, que passava a ser o responsável junto ao "Conselho Pastoral" da Paróquia; á realizar  o planejamento das atividades Pastorais,Liturgia, ficando as "Pastorais e Movimentos", responsável em realizar aquele planejamento, do CCPs, em todas comunidades, sendo patrocinados pelo CAE.

Em síntese, após as reuniões pós-missões o COMIDI: ficou responsável em trabalhar a organização e formação do novo modelo de "Conselho Pastoral CCPs", com a criação de COMIPAS, em todas Paróquias, e a implantação da infância missionária.

Na sequência foi organizado uma comissão de Padres, para trabalhar na formação do "Laicato", no que se refere a liturgia e cânticos nos "Setores Pastorais da arquidiocese de Curitiba", sendo: Pe.Gilson Camargo CM, Cônego Pedro Vílson Soares, Pe.Reginaldo Manzotti, e uma irmã religiosa.(Não lembro o nome)

Estas iniciativas contribuíram muito, no zelo a liturgia, cânticos litúrgicos, formação dos CCPs, e formação do laicato da arquidiocese de Curitiba.

Conclusão: Hoje quase 20 anos depois; Com o planejamento dos CCPs, que colocaram todos movimentos sociais e Pastorais dentro de um mesmo "Plano de Ação".

Em muitas Paróquias, onde não foi respeitado a história, espiritualidade, e planejamento dos movimentos, estes enfraqueceram, e outros entraram na UTI, e faleceram.

Mais os ramos do neopentecostalismo, continua muito vivo, em nossos dias, governando a comunicação e parte do que sobrou das muitas Pastorais e Movimentos Sociais, em nosso tempo.

Hoje com muitos na UTI, já existe quem pensa e defende que devemos formar uma "Pastoral Única", com todos(as) juntos.

A você, que está no futuro, escrevi a você, uma parte, uma síntese, do que vivenciamos, para que você conheça um pouco do passado, e construa, um projeto de futuro melhor, para todos, onde reine o amor a Paz e o Reino de Deus, aconteça.


Matéria: Tarcísio Cirino
11-03-2018

"HABEMUS BISPO: DOM MÁRIO SPAKI"

                                           Caro amigo: Pe.Mário Spaki, recebemos com profunda alegria a sua nomeação de novo bispo no Brasil, para a diocese de Paranavaí (PR).

Para nós que o conhecemos trabalhando juntos, nas Pastorais Sociais, Comunicação, Missões, confesso que não foi surpresa, sabíamos que isso ia acontecer.

Agora amigo. Dom Mário Spaki: Não esqueça os pobres, Movimentos Sociais, Pastorais Sociais, onde você muito atuou, e tanto nos incentivou..

Parabéns, um grande abraço!!

O Papa Francisco nomeou Bispo da diocese de Paranavaí (PR) o Pe. Mário Spaki, do clero da diocese de Ponta Grossa (PR), até então Secretário-executivo do Conselho Episcopal Regional Sul 2 da CNBB, com sede em Curitiba.
Pe.Mário Spaki nasceu em 14 de dezembro de 1971 em Irati, na diocese de Ponta Grossa. Na cidade paranaense estudou Filosofia e Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (1998). Também estudou Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Paraná em Curitiba.
Em 3 de agosto de 2003 foi ordenado sacerdote e incardinado na diocese de Ponta Grossa, na qual foi Vigário Paroquial e Reitor do Seminário de Filosofia São José (2004-2012).
Desde 2013 é Secretário-executivo do Conselho Episcopal Regional Sul 2 da CNBB, com sede em Curitiba.

Matéria: Tarcísio Cirino

MUTIRÃO DA PASTORAL DA SAÚDE É NOTÍCIA NO BRASIL.

A Pastoral da Saúde (CNBB), arquidiocese de Curitiba, promoveu neste último sábado 14 de abril, na Paróquia Santo Antônio bairro Boa Vista em Curitiba, um dos grandes eventos da saúde, que se tem notícia na história das políticas públicas de saúde..

O evento em unidade com profissionais da saúde, com apoio e participação das lideranças do SESA/PR, SMS, SUS, AIC, RPCTV, Distritos Sanitários, Pastorais sociais, etc; aliados em unidade á Pastoral da Saúde com a participação de voluntários(as), promoveram o  "Mutirão da Saúde".

No vídeo acima, produzimos um documentário breve, que conta um pouco da história da Pastoral da Saúde, e importância de cada cidadão brasileiro, conhecer seus direitos na área das políticas públicas de saúde, através de  entrevistas com representantes das políticas de saúde do Paraná, SESA e lideranças da Pastoral da Saúde, com a participação: Dr.Rubens Bendlin, Jaqueline Balthazar Silva, Frei Claudemir Silva, coordenadora arquidiocesana de Curitiba, Ireonilda Machado De Conto.

 Matéria: Tarcísio Cirino
 16-04-2018